Apontamentos para um almoço completo: uma imersão na culinária saudável

almoco6

(Vegetariano e Vegano)

Hoje vou tentar algo diferente!

Ao invés de colocar uma única receita, vamos realizar uma imersão na culinária saudável, apresentando um almoço completo, com os pratos principais e o acompanhamento.

Procurei combinar variedades de alimentos com foco em suas características, composição, aromas, sabores e cores. Resultou num prato que vai do claro ao escuro, passando por múltiplas cores.

Da mesma forma, me preocupei com a condimentação, de forma que os sabores se combinassem e que todos fossem bem percebidos, sem que o fato de um sabor ficasse ressaltado às custas da anulação do outro. Resultou num almoço nutritivo e saboroso!

Aproveite!

continue lendo…

Batata Dauphinoisi: Saborosa e Saudável

batatadauphinoisi(Ovolactovegetariano, Dieta para Artríticos)

E já que estamos tratando de batatas, convido vocês para uma viagem  pela França, onde nasceu este saboroso prato. Sim, a Batata Dauphinoise (nome chic!) é um prato francês, que fala fazendo biquinho e todos que provam, aprovam. Afinal, a batata é quase uma unanimidade. É a queridinha do Brasil!

Como a nossa intenção é uma culinária saudável, sem carne, sem produtos industrializados (tanto quanto for possível evitá-los), fiz algumas modificações e adaptações. Por fim, ficou um prato ideal para ovolactovegetarianos e para quem tem artrite, uma vez que o leite e o queijo (que não são indicados) foram substituídos pelo leite de côco e pela cenoura ralada, que são mais indicados.

O nome original do prato, em francês, é gratin dauphinois, que se pronuncia como gratã dofinoá, que nada mais é do que uma batata gratinada, que levava creme de leite. O prato foi se modificando ao longo do tempo e foi-se incluindo o queijo.

Este prato parece ter sido lançado oficialmente num jantar promovido pelo Duque de Clermont-Tonnerre, que habitava em Dauphiné nos idos anos de 1788.

Daí ganhou mundo e foi se modificando. Hoje você pode encontrar um infinito número de receitas que se diferenciam em detalhes, mas que mantém a ideia inicial de batatas cortadas em fatias finas e gratinadas.

A seguir, apresento a minha versão do famoso prato. Espero que apreciem!

A LISTA DE INGREDIENTES:

Aproveite para dar uma voltinha e passe na feira e no supermercado para providenciar o seguinte:

três batatas médias (quando chegar em casa, descasque-as e corte em fatias finas)

dois dentes de alho (inteiros)

Leite de Côco (basta uma xícara)

Ovos (apenas dois)

Nós moscada em pó (uma colher de café já é o suficiente)

Cenoura (três colheres de cenoura ralada)

Cebola (três colheres de cebola ralada)

Sal Rosa (vá colocando devagar e testando até ficar no ponto)

Azeite de Oliva (uma colher para untar a forma e uma colher para espalhar sobre o prato na hora de servir)

Com toda a lista de ingredientes já preparados da forma como te falei acima, você já pode escolher uma bela música francesa do seu agrado e começar a montar o prato e dançar. Alegria se transmite para o que a gente faz na cozinha! É bom para quem cozinha, e é bom para quem saboreia.

A MANEIRA DE MONTAR O PRATO:

  • Disponha as fatias de batata numa forma refratária ou assadeira untada com uma colher de azeite de oliva;
  • Bata no liquidificador, o alho, o leite de côco, os ovos e a nós moscada;
  • Depois, coloque sal rosa até atingir o ponto ideal para o seu gosto;
  • Jogue esta mistura em cima das batatas fazendo com que envolva tudo;
  • Polvilhe a cenoura e a cebola raladas por cima e espalhando bem por toda a superfície; e
  • Deixe assar até que as batatas estejam moles e a mistura esteja firme e gratinada.
  • Ao retirar do forno, regue com uma colher de sopa de azeite.

Sirva quente!

Muito fácil de fazer e muito saboroso! O Leite de côco dá um gosto bem especial.

Espero que apreciem!

Di Ferreira

Paixão por Tomate

Tomates, tomates, tomates! Vermelhos, brilhantes, vibrantes! Quem resiste? Eu me rendo! Existem infinitas formas de degustação destes frutos divinos. Eu adoro tomates marinados! Cabem num bom lanche, em cima de arroz, risotos, macarrão, saladas e até em carreira solo. Eu marino tomates com limão ou vinagre branco, louro, orégano, gengibre, açúcar orgânico, sal rosa e nós moscada. Deixo uns 20 minutos no freezer para “cozinhar” com o frio. Mas se for marinar pedaços grandes posso deixar na geladeira de um dia para o outro. Às vezes frito levemente no azeite, antes de servir. Amo os tomates! E você como marina os seus? Relate sua experiência!